Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde se reúne em Cuba

A Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde (RETS) se reuniu pela segunda vez, desde a sua reativação em 2005, entre os dias 22 e 23 de maio, em Havana, Cuba. O encontro, que integrou a programação do ‘I Congreso de Tecnologías de la Salud’, contou com a participação de cerca de 20 pessoas, representando seis países: Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, México e Uruguai. A delegação brasileira foi composta por três representantes da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz), que é Secretaria Executiva da Rede, e centro colaborador da Organização Mundial da Saúde (OMS) para formação de técnicos em saúde.

O encontro foi programado na primeira reunião da Rede, ocorrida durante o Fórum Internacional de Educação de Técnicos em Saúde, realizado em agosto de 2006. O objetivo foi validar um instrumento que alcançasse uma unidade possível de categorização das diversas carreiras e áreas de formação técnica para dar conta da realidade educacional dos países que integram a RETS. “Precisamos ter clareza sobre o objeto dessa Rede. Isso significa saber do que estamos tratando quando falamos de formação de técnicos em saúde em cada um desses países. Em Cuba, por exemplo, a formação técnica pode estar inserida na carreira de tecnologias em saúde, que compõe um itinerário formativo de cinco anos com saídas intermediárias para técnico básico, técnico e licenciado, que é de nível superior”, explica Anamaria Corbo, coordenadora da Secretaria Executiva da RETS. E completa: “Acreditamos que, para estabelecer cooperação técnica no nível internacional, é preciso compreender a história de constituição e a realidade atual dos sistemas de saúde e educação de cada país. O trabalho de cooperação depende da nossa capacidade de identificar pontos de convergência entre os projetos de formação dos trabalhadores da saúde”.

Na reunião, cada participante apresentou informações sobre a organização do sistema educacional do seu país, envolvendo a formação profissional e a educação básica, e opinou sobre a categorização das carreiras e áreas de formação técnica proposta pela Secretaria Executiva da Rede. Um dos avanços do encontro, segundo Anamaria, foi a confirmação de que a RETS deve englobar a formação de trabalhadores desde o nível de agentes e promotores de saúde até os tecnólogos ou técnicos superiores — que representam um segmento expressivo da educação técnica na América Latina. Outro resultado positivo foi o reconhecimento de que boa parte das ações da Secretaria Executiva depende da participação ativa de cada um dos membros da Rede.

Com as informações que serão coletadas e sistematizadas a partir do instrumento construído na reunião, a Secretaria Executiva da RETS vai poder desenvolver duas ações previstas no seu plano de trabalho. Uma delas é a alimentação do site da Rede, que pretende ser um grande banco de dados sobre a organização dos sistemas de saúde e educação dos países-membros. A outra é a criação de um glossário de ocupações técnicas e termos relacionados para facilitar o estabelecimento de projetos de cooperação entre os integrantes da Rede.

Além da reunião, a RETS também teve participação especial no Congresso. O diretor da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, André Malhão, foi convidado a falar no Capitólio Nacional, durante a cerimônia de encerramento, que contou com a participação do Ministro da Saúde cubano. Em seu discurso, André disse que, a exemplo de Cuba, a RETS tem uma dimensão internacionalista, e caracterizou a Rede como uma importante estratégia para a construção de um mundo mais justo, em que todos tenham acesso integral à saúde e à formação plena.

Comentar