Aluno da EPSJV é premiado em Olimpíada de Química do Rio de Janeiro

Caio Rodrigues Fernandes, que conquistou a medalha de prata, irá participar da etapa Nacional da Olimpíada
Julia Neves - EPSJV/Fiocruz | 13/04/2021 13h53 - Atualizado em 13/04/2021 13h53

A Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) teve destaque na 15ª Olimpíada de Química do Rio de Janeiro (OBQRJ). Dentre 1700 estudantes inscritos, o aluno do 1º ano do Ensino Médio, da habilitação de Análises Clínicas, Caio Rodrigues Fernandes, recebeu a medalha de prata na modalidade EM1. A categoria engloba estudantes que estejam cursando a 1ª e 2ª séries do Ensino Médio em 2021. A Cerimônia de premiação aconteceu no dia 9 de abril, durante uma Live no Canal da OQRJ, no Youtube. Agora, Caio irá participar da etapa nacional da Olimpíada, que está prevista para acontecer em setembro de 2021.

Caio conta que, a princípio, se inscreveu na Olimpíada despretensiosamente, apenas dois dias antes da prova. "A prova até que não foi tão difícil, porque as matérias que foram cobradas são as mesmas que eu tenho atualmente, como distribuição eletrônica, ligações químicas e tabela periódica, além de outras que eu já tive no meu 9° ano, como fenômenos naturais, métodos de separação de misturas, dentre outras”, afirma o aluno, que acredita que a maior dificuldade é a tensão que gera por se tratar de uma olimpíada. “O nome assusta”, brinca o jovem medalhista.

O segundo lugar, segundo Caio, serviu para mostrar a ele mesmo que está no caminho certo nos estudos de Química, principalmente durante o isolamento social. “Estava inseguro se realmente estava conseguindo absorver as matérias nesse tempo de Ensino Remoto Emergencial, mas agora vejo que está valendo a pena. Agora, pretendo começar a estudar para a etapa nacional, primeiramente, pelas matérias que eu não sei e que costumam cair na prova, depois por provas anteriores para já me acostumar com o formato”, destaca Caio, que ainda está indeciso sobre qual carreira seguir no vestibular: “Penso muito em cursar Medicina, Biotecnologia ou Biologia, mas ainda não sei. Acho que a Química está bem presente nessas áreas”.

Grande incentivador de Caio, o professor de Química da EPSJV, Marcos Vinicius Mota Machado, elogia o protagonismo dos estudantes da Escola durante todo o processo. Segundo ele, a divulgação da OBQRJ dentro da Escola Politécnica foi feita pelos próprios alunos do Grêmio estudantil. O professor ressalta ainda a importância da vitória conquistada pelo aluno. “A Olimpíada do Rio de Janeiro é o nivelamento para a Olimpíada Nacional, os três primeiros lugares vão para a etapa nacional. Ou seja, o Caio vai competir com estudantes de todo o Brasil. E nesse processo, ele ainda participa do projeto Escola Olímpica”, comemora, explicando que o projeto consiste em um curso inteiramente gratuito oferecido pelo Comitê Científico da Olimpíada de Química, ministrado por professores, mestres e doutores de excelência como preparatório para a etapa nacional.

Na visão de Tânia Camel, também professora de Química da Escola Politécnica, o maior objetivo da Olimpíada deve ser o de incentivar o gosto por esse campo das ciências da natureza e promover o contato entre jovens que, de alguma forma, se identificam com ele através da disciplina. “Nesse sentido, a Olimpíada pode atuar como mais um elemento na construção de uma rede de troca de conhecimentos”, afirma, comentando a vitória de Caio: “É também uma conquista e um presente para toda a comunidade da Escola, pois representa a comunidade escolar das escolas públicas, onde ainda é possível realizar uma educação humanista e de base científica de qualidade”.

Para Marcos Vinicius, é essencial que cada vez mais alunos participem desses eventos porque é um combustível e uma verdadeira motivação para eles. “O Caio foi uma grata surpresa, ele é um garoto que quer muito seguir uma carreira que envolva Química. É um garoto muito bom, muito inteligente”, conclui o professor-pesquisador.

OQRJ

Realizada anualmente, a Olimpíada de Química de Rio de Janeiro (OQRJ) é uma competição regional de Química, destinada a alunos do estado do Rio de Janeiro, que estejam regularmente matriculados em estabelecimentos de ensino médio regular ou técnico. A competição tem como objetivos despertar e estimular o interesse pela Química; proporcionar desafios aos estudantes e identificar os alunos talentosos em Química, preparando-os para as olimpíadas nacional e internacionais e estimulando-os a seguir carreiras científico-tecnológicas.

Comentar