Estudantes da EPSJV produzem portfólios sobre Biologia Molecular

Em sites, PDFs e revistas digitais, os alunos do 3º ano do Ensino Médio de Biotecnologia expuseram os conteúdos aprendidos durante as aulas
Julia Neves - EPSJV/Fiocruz | 14/04/2021 15h36 - Atualizado em 14/04/2021 16h10

Os olhares dos estudantes do 3º ano do Ensino Médio da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz), da habilitação de Biotecnologia, sobre a disciplina de Biologia Molecular se transformaram em portfólios com os conteúdos aprendidos durante as aulas. Os trabalhos foram feitos em diferentes formatos, como revistas digitais, sites, pdfs e outros que a criatividade dos alunos produziu.

Segundo a professora-pesquisadora da EPSJV, Tainah Galdino, apesar das dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19, os estudantes aceitaram o desafio e conseguiram surpreender: “Foi tão positivo que eles nos incentivaram ainda mais no exercício da docência. Estou encantada”.

Tainah conta que pediu que os alunos se dividissem em grupos e construíssem portfólios com os conteúdos ministrados durante as aulas. “Queria ver como eles conseguiriam fazer esse link entre a matéria dada e aquilo que a gente observa no mundo cotidiano da Biologia Molecular como, por exemplo, o kit padrão ouro para a testagem da Covid-19, que é feito com uma das técnicas da Biologia Molecular”, ressalta a professora-pesquisadora. Os trabalhos tratam ainda de outros temas como sequenciamento genético, clonagem de DNA e fluxo da informação genética.

A estudante Ana Beatriz Andrade conta que seu grupo procurou uma forma alternativa que, ao mesmo tempo, fosse prazerosa realizar o trabalho. “Foi aí que chegamos na proposta de criar uma revista digital, dessa forma, teríamos um material posterior para estudar. No processo de entender como funcionava, percebemos que tínhamos a possibilidade de implementar vídeos, gifs, animações, imagens, o que ia ao encontro do que gostaríamos de apresentar, algo dinâmico, divertido e interativo, que possibilitasse para quem estivesse estudando um entendimento completo sobre a matéria”, destaca.

Ana Beatriz explicou que, para a elaboração da revista, cada integrante ficou responsável por três matérias. “Desenvolvemos um padrão, que consistia, em primeiro lugar, conceituar a técnica abordada em tal aula, buscando fontes alternativas e utilizando as próprias aulas da professora. E, depois, procurar as aplicações das técnicas, visando trazer exemplos do uso dela no nosso dia-a-dia. Foi um trabalho de pesquisa, de relembrar a matéria e de adquirir novos conhecimentos, agregando a tudo que já havíamos aprendido em sala de aula”, observou a estudante.

A revista digital possui bastante texto, porque, segundo a estudante, os conteúdos não são simples e as técnicas precisam de um entendimento teórico um tanto quanto aprofundado. “No entanto, buscamos utilizar uma linguagem simples e fácil, para que nosso leitor pudesse compreender facilmente todas aquelas técnicas. E acrescentamos muitas ilustrações, para ilustrar bem os textos e dar mais dinâmica para a revista”, comenta.

Para Ana Beatriz, o trabalho foi uma experiência incrível e desafiadora que faz parte do "se reinventar”. “Temos ouvido isso durante a pandemia. Todos nós estamos nos reinventando, estudando de casa e fazendo nossos trabalhos de forma remota, buscando novas ferramentas, que podem ser aplicadas para tornar uma avaliação um tanto quanto mais prazerosa, mais divertida e uma experiência nova de aprendizado para nós, alunos”, aponta.

Quem também fez uma revista digital foi a aluna Isabella Moraes. O grupo dela escolheu fazer o portfólio "A Biologia Molecular pelo olhar do aluno". “Achamos que, dessa forma, teria um formato e uma linguagem mais clara e mais acessível a todos que pudessem ler”, afirma a aluna, contando que o grupo se dividiu para que cada um fizemos alguns resumos aprofundados dos conteúdos aprendidos em sala de aula.

Para Isabella, diferente de uma prova convencional, o novo formato de avaliação final foi divertido e esclarecedor. “Claro que não foi fácil, mas ficou bem dividido. E, apesar do trabalho imenso que deu pra gente, foi uma ótima forma de fixar as matérias na nossa mente e entregar algo que possa ser utilizado no futuro, considerando a profundidade do portfólio”, conclui.

 

Veja aqui os trabalhos:

Comentar