Cooperação Internacional

Para a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV), a cooperação internacional constitui um importante instrumento de promoção da educação profissional em saúde e é considerada uma atividade estratégica da instituição.

Como unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a EPSJV desenvolve esse trabalho com base nos Acordos Básicos de Cooperação, firmados pelo governo brasileiro, em âmbito bilateral e multilateral, e de acordo com as diretrizes estabelecidas pela política de cooperação internacional da própria Fiocruz.

A destacada participação da EPSJV em ações de cooperação bilateral com outros países, especialmente da América latina e da África de língua portuguesa, ocorre especialmente por conta de sua comprovada capacidade de elaborar projetos de política, regulamentação, currículos, cursos, metodologias e tecnologias educacionais voltados para a formação de técnicos em saúde, bem como por sua firme determinação em produzir e divulgar conhecimentos na área de trabalho, saúde e educação.

Em julho de 2004, devido ao reconhecimento de seu importante papel na área da formação de técnicos em saúde no Brasil e ao prestígio internacional alcançado por sua atuação em parcerias com outros países, a EPSJV foi designada como Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a educação de técnicos em saúde. Desde então, assumiu a responsabilidade de contribuir para a plena realização de programas e objetivos definidos nos contextos global, pela OMS, e regional, pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que atua como representação da OMS na região das Américas.

Desde 2005 a EPSJV atua como Secretaria Executiva da Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde (RETS), tendo assumido função semelhante nas Redes de Escolas Técnicas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (RETS-CPLP) e da União das Nações Sul-Americanas (RETS-Unasul), criadas em 2009, como sub-redes da RETS.

Os centros colaboradores (CC) são designados pelo Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) para integrarem uma rede internacional de instituições capazes de desenvolver uma série de atividades concretas de colaboração, especificamente estabelecidas ou projetadas em conjunto com a OMS ou seus escritórios regionais, a fim de apoiar o programa geral da organização.

Nesse sentido, representam um mecanismo extremamente valioso para a cooperação e para dar suporte a OMS no cumprimento da missão que lhe é confiada pelos países e pela consecução dos objetivos estratégicos previstas no nível regional e global. Os centros colaboradores da OMS também desempenham um papel relevante ao reforçar o caráter do trabalho realizado pela OMS no âmbito da saúde global, bem como no fortalecimento da capacidade institucional em países e regiões.

Em fevereiro de 2003, a Representação no Brasil da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS) apresentou a candidatura da EPSJV a Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde (CC-OMS), considerando que a Escola já cumpria todos os requisitos necessários para tal, dentre os quais:

· alto nível científico e técnico da instituição em nível nacional e internacional;

· lugar de destaque na estrutura de saúde, ciência e educação no país;

· alta qualidade de seu corpo técnico e científico quantidade suficiente de pessoal capacitado para o trabalho;

· estabilidade institucional no que se refere à força de trabalho, a suas atividades e ao financiamento de suas ações;

· fortes relações de trabalho com outras instituições no país e em outros países, em níveis regionais e globais;

· capacidade e  vontade de contribuir de modo individual ou como membro integrante de redes para as atividades da OMS;

· relevância técnica e geográfica da instituição e de suas atividades para programas prioritários da OMS;

· conclusão bem sucedida de pelo menos dois anos de colaboração da instituição com a OMS na realização de atividades planejadas em conjunto.

Em 20 de julho de 2004, a EPSJV foi designada oficialmente como CC-OMS, sendo redesignada em 2008 e 2012.

Em 2014, para comemorar 10 anos como Centro Colaborador da OMS para a Educação de Técnicos em Saúde, a EPSJV lançou um livro, no qual apresenta um resumo das principais ações realizadas até então, tais como, o TCC Bolívia, Brasil e Paraguai, o Projeto Mercosul, o Plano de Melhora da Qualidade das Instituições Formadoras de Técnicos em Saúde e o Curso de Especialização em Educação Profissional em Saúde para os países Africanos de Língua Portuguesa (Palop). A publicação traz ainda informações relevantes sobre sua atuação à frente da Rede Internacional de Educação de Técnicos em Saúde (RETS) e de suas duas sub-redes: Rede de Escolas Técnicas de Saúde da CPLP (RETS-CPLP) e Rede de Escolas Técnicas da Unasul (RETS-Unasul).

De forma geral, são atribuições da EPSJV como CC-OMS:

· promover, desenvolver e disseminar informações e conhecimentos técnico-científicos estudos científicos no âmbito da formação e do trabalho dos técnicos em saúde;

· realizar projetos para a formação e desenvolvimento desses trabalhadores, bem como de docentes voltados para essa tarefa;

· assessorar o desenvolvimento local de ações de formação continuada de trabalhadores de saúde; e

· elaborar materiais didáticos para apoiar a formação e o desenvolvimento de trabalhadores e docentes de saúde.