EPSJV conclui a formação de Técnicos em Radiologia

O objetivo foi qualificar novos profissionais para atuarem no campo da saúde, mais especificamente na aplicação das técnicas radiográficas
Julia Neves - EPSJV/Fiocruz | 14/12/2017 14h34 - Atualizado em 29/10/2018 09h39

Formar trabalhadores técnicos que não tinham concluído o ensino médio na idade regular de ensino. Esse foi o desafio que a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) assumiu quando decidiu realizar o Curso Técnico em Radiologia pelo Programa Nacional de Integração da Educação Básica com a Educação Profissional na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja). E esse processo se encerrou agora, no dia 13 de dezembro, com a formatura das duas turmas que, ao longo das 2,4 mil horas do curso, cursaram as disciplinas da formação geral do ensino médio e as da formação profissional, organizadas em um currículo único e integrado, no turno da noite, além de outras 400 horas de estágio supervisionado. O objetivo foi qualificar novos profissionais para atuarem no campo da saúde, mais especificamente na aplicação das técnicas radiográficas em pacientes que se submetem a processos de diagnóstico por imagem ou tratamentos que necessitem do uso de radiações ionizantes.

“Vale ressaltar que no Sudeste não há outra escola pública que faça este tipo de curso. Quase todos os cursos oferecidos são privados e a maioria deles é realizada em instituições que poderíamos considerar nem serem de ensino, pela falta de estrutura pedagógica”, explica Sérgio Ricardo de Oliveira, coordenador do curso e vice-diretor de Pesquisa da EPSJV. A coordenação da primeira turma do curso contou com a colaboração dos professores-pesquisadores Luiz Antonio Saléh e Alexandre Moreno. Na segunda turma, foi dividida com o professor-pesquisador Leonardo Silva Flor. “A oportunidade de trabalhar com os conceitos e conhecimentos técnicos na área em concomitância com os conteúdos abordados no ensino médio fez com que os alunos agregassem maior conhecimento no aspecto geral da formação e entendessem a importância dessa formação no processo de trabalho futuro”, destaca.

“Foi muito importante ter participado de um curso técnico em uma escola pública federal reconhecida por sua formação de profissionais na área de saúde, com ótimos professores dedicados e com alto nível de conhecimento. Hoje tenho um vasto conhecimento na área e já até tenho convite para trabalhar”, afirma Alex dos Santos Nascimento, aluno da primeira turma de Radiologia, que realizou o estágio no Hospital Marcílio Dias. Paloma Cristina Batista, aluna da primeira turma, completa: “Foram três anos de curso com muitos obstáculos. O resultado é esse: podemos aplicar na prática todo o conhecimento adquirido, respeitando o paciente e atendendo-os com amor e ética profissional”.

Próximos passos

Apesar de ressaltar a importância da experiência de formação integrada, o coordenador explica que o curso não será mais oferecido na modalidade Proeja, pois a escola considerou que a maioria dos alunos que buscava a capacitação na área já possuía a formação básica. “Isso acabava por gerar um processo de evasão grade logo nos primeiros períodos”, lamenta. No segundo semestre de 2016, a EPSJV iniciou uma nova turma na modalidade subsequente, com previsão de término em dois anos. Em paralelo, a Escola pretende ampliar a formação nessa área, com cursos de especialização técnica. “Talvez a maior dificuldade seja atender a demanda regional, pois só para o curso de formação regular a procura superou 30 mil inscrições e a tendência é que as especializações sigam a mesma regra”, ressalta Sérgio.

 

Fotos: Julyana da Silva Santos

Comentar