Expansão da Radioterapia no SUS

Especialização técnica coordenada pela EPSJV vai formar 160 profissionais de Radiologia na área de radioterapia de diversos estados do país
Talita Rodrigues - EPSJV/Fiocruz | 02/06/2017 09h39 - Atualizado em 02/06/2017 09h42

Como parte do Plano de Expansão da Radioterapia no Sistema Único de Saúde (SUS), a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) iniciou no dia 29 de maio o Curso de Especialização Técnica de Nível Médio em Radioterapia com Ênfase em Aceleradores Lineares. A primeira turma do curso tem 25 alunos de todas as regiões do Brasil, que terão aulas no Centro Formador de Pessoal para Saúde de São Paulo (Cefor-SP). A formação é coordenada pela EPSJV, em parceria com o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) e a Secretaria de Gestão do Trabalho e de Educação na Saúde do Ministério da Saúde (SGTES/MS).

A cerimônia de abertura do curso, realizada no Cefor-SP, teve a participação de Sérgio Ricardo, vice-diretor de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da EPSJV; Alexandre Moreno, coordenador do curso e professor da EPSJV; Célia Viégas, subchefe da Radioterapia do Inca; Ricardo Carvalho, diretor do Cefor-SP; Célia Soares, chefe do Departamento de Radioterapia do Hospital Santa Marcelina; Valdelice Teodoro, diretora presidente do Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (Conter); e Roberta Fernandes e Souza, coordenadora da Coordenação-geral de Ações Técnicas em Educação na Saúde da SGTES/MS.

Todos destacaram a importância da parceria entre as instituições para a formação de profissionais para o SUS e a expansão da Radioterapia no país, diminuindo a carência que existe atualmente na oferta desse serviço. “A radioterapia é fundamental para o diagnóstico e o tratamento dos pacientes com câncer”, destacou Sérgio Ricardo.

Expansão da Radioterapia

O Plano de Expansão da Radioterapia no SUS prevê a instalação de 80 aceleradores lineares em diversas cidades do Brasil, visando preencher os vazios assistenciais existentes atualmente. Segundo dados apresentados por Célia Viégas, a estimativa é que, até o fim de 2017, sejam diagnosticados 600 mil novos casos de câncer em todo o país. De acordo com ela, a radioterapia é utilizada para o tratamento de 70% dos casos, enquanto a quimioterapia é usada em 30% dos tratamentos.

“Atualmente, a maior concentração de oferta da Radioterapia está concentrada nas regiões Sul e Sudeste, por isso, o plano de expansão que visa ampliar também em outras regiões. E mesmo com a expansão, ainda vamos ficar com capacidade para atender apenas metade da demanda atual”, disse Célia Viégas, acrescentando que dos 80 novos equipamentos previstos no plano, quatro já estão instalados – na Paraíba, em Feira de Santana (BA), em Porto Alegre (RS) e em Brasília (DF).

O Curso de Especialização Técnica de Nível Médio em Radioterapia com Ênfase em Aceleradores Lineares tem a duração de seis meses e irá formar profissionais que já trabalham nos hospitais que irão receber os 80 novos equipamentos. Edson da Silva, que trabalha há 20 anos no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão (SC), é um dos alunos do curso e vai coordenar o Serviço de Radioterapia que será implantado no Hospital. “Espero sair daqui bem formado e passar o conhecimento para a equipe que vou coordenar no hospital”, disse ele.

Até o final de 2018, serão formados 160 especialistas técnicos de nível médio em Radioterapia com Ênfase em Aceleradores Lineares. Além da turma que já está em andamento em São Paulo (SP), serão realizadas mais quatro turmas em Salvador (BA), São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Fortaleza (CE). Todas as turmas terão cerca de seis meses de duração, no modelo concentração e dispersão. Os alunos têm duas semanas de aulas teóricas, alternadas com seis semanas de prática profissional e acompanhamento online. “Vou levar uma experiência nova para o hospital e me especializar para fazer o melhor para os pacientes que precisam do tratamento”, disse a aluna Maria Gracineide Santos, que trabalha há oito anos no Hospital do Câncer de Rio Branco, em Rio Branco (AC). Marcos Cortes Correa, que trabalha há 12 anos no Hospital de Urgências de Sergipe, em Aracaju (SE), também espera aprimorar seus conhecimentos para trabalhar com o novo equipamento. “Já trabalho com um acelerador e agora vamos receber um mais moderno, que proporciona um melhor tratamento para o paciente”, disse ele.

A Especialização está organizada em três eixos – Ciência, Saúde e Trabalho -, com carga horária de 900 horas. Parte do conteúdo dos eixos foi desenvolvido pelos multiplicadores formados no Curso de Capacitação para a Formação de Multiplicadores de Técnicos Especializados em Radioterapia, realizada no Inca, entre o final de 2016 e o início de 2017, e que formou médicos, físicos e educadores que serão docentes do curso.

Comentários

Moro em SP e tenho interesse em fazer este curso sou tecnica em radiologia, e quero muito fazer este curso. Grata

Comentar