Entrevista: 
Cátia Benevides

“Técnicos em Radiologia exercem atividades essenciais para o diagnóstico e análise das complicações em razão da contaminação pelo vírus”

Professora-pesquisadora do Politécnico e Conselheira do Conselho Regional de Técnicos e Tecnólogos do Rio de Janeiro (CRTR-RJ), Cátia Benevides, fala da atuação do Técnico em Radiologia no enfrentamento à Covid-19.
Julia Neves - EPSJV/Fiocruz | 13/05/2020 12h51 - Atualizado em 13/05/2020 14h22

Com uma formação feita, em sua maioria, por instituições privadas, os profissionais de Radiologia exercem importantes funções no Sistema Único de Saúde (SUS), pois são os responsáveis, por exemplo, pela realização de exames radiográficos e a preparação de pacientes que vão se submeter a mamografias, tomografias computadorizadas, ressonâncias magnéticas e ultrassonografias, entre outros. No atual contexto de crise sanitária mundial causada pelo novo coronavírus, esses profissionais passam a ter um papel ainda mais fundamental, já que atuam diretamente no diagnóstico e nas possíveis complicações da Covid-19. Desde 2012, por reconhecer a importância de uma formação pública, mais alinhada aos princípios e diretrizes do SUS para esses profissionais, a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) passou a oferecer o Curso Técnico em Radiologia. Desde então, é uma das poucas instituições públicas que oferecem a formação, além de várias especializações na área, que se torna cada vez mais importante para o atendimento à população no SUS.  Nesta entrevista, a professora-pesquisadora do Politécnico e Conselheira do Conselho Regional de Técnicos e Tecnólogos do Rio de Janeiro (CRTR-RJ), Cátia Benevides, fala da atuação desse profissional no enfrentamento à Covid-19.

No sistema de saúde como um todo, qual o papel do Técnico em Radiologia?

Regulada pela Lei nº 7.394, de 29 de outubro de 1985, a profissão de técnico de radiologia exige formação técnica de nível médio que capacita o profissional a operar e preparar equipamentos radiográficos. Esse é o profissional responsável por operar aparelhos e fontes emissoras de radiação ionizante, tanto com finalidade terapêutica, de tratamento, quanto e diagnóstica, incluindo, neste último caso, a área da indústria. Alguns exemplos de aparelhos são raios X em geral, mamógrafos, densitometria, arcos cirúrgicos, radioterapia e tomografia computadorizada.

Suas principais funções são preparar e orientar os pacientes e seus acompanhantes, preparar a sala para a realização de diagnósticos por imagem, processar filmes radiológicos e, em alguns serviços, fazer soluções químicas e acompanhar a utilização de meios de contraste radiológicos, analisando os princípios de proteção radiológica, avaliando reações adversas e agindo em situações de urgência.

Para realizar essas atividades, o profissional deve estar sempre preparado para tomar decisões rapidamente. Ele também tem que trabalhar bem com outras pessoas, pois está frequentemente em contato com pacientes e trabalhando em conjunto com uma equipe multidisciplinar, além de, claro, ser absolutamente ético.

Como a atuação do Técnico em Radiologia contribui em um momento como esse de pandemia por coronavírus?

A pandemia evidenciou o papel fundamental que os profissionais da saúde desempenham na sociedade. Na linha de frente do combate à Covid-19, a força de trabalho de diversas categorias profissionais é a principal arma para o controle da doença e o cuidado do paciente. Neste cenário, os Técnicos em Radiologia exercem atividades essenciais para o diagnóstico e análise das complicações em razão da contaminação pelo vírus.

Uma vez que as infecções podem evoluir para complicações no trato respiratório, com potencial alcance dos pulmões, os exames de imagem, em especial a tomografia computadorizada, são fundamentais para acompanhar a evolução da doença e a gravidade das lesões. Por meio da Radiologia, também é possível definir a melhor condução do tratamento, além de excluir o diagnóstico de outras doenças, como pneumonias virais, pelo fato de a Covid-19 possuir características específicas quando alcança os pulmões.

Esse uso dos recursos de imagem, como tomografias do pulmão para apoiar o diagnóstico, tem sido intensificado inclusive pela carência de testes para detectar o novo coronavírus. Nesse cenário, como os técnicos em radiologia estão lidando com a reprodução desse tipo de imagem para o diagnóstico da Covid-19?

Apesar de os testes clínicos e sorológicos serem os principais meios de rastreio da doença, sabemos que ainda é deficiente a oferta desses testes para a população. Considerando esse problema, a realização dos exames de imagem se tornou essencial para identificar se o indivíduo foi acometido pelo vírus. 

Os profissionais da Radiologia que atuam na subárea do Radiodiagnóstico, com a tomografia computadorizada, vêm desempenhando seu papel com maestria. Os exames estão sendo solicitados com muito mais frequência e os setores com atendimento demasiadamente aumentados. Isso faz com os profissionais se desdobrem no atendimento ao paciente, na realização do exame, no cuidado com a higienização da sala e com sua própria saúde. Apesar de toda a dificuldade e do trabalho excessivo, os Técnicos em Radiologia precisam estar atentos em relação aos cuidados que devem ser tomados para preservar a sua saúde e a dos pacientes.

Os profissionais de Radiologia estão na linha de frente nesta luta contra a Covid-19 e pela vida e merecem muito mais que atenção, reconhecimento e respeito. Merecem ter dignidade para trabalhar em segurança.

No geral, de que equipamentos de segurança esses trabalhadores precisam usar e qual a importância desses materiais?

O Ministério da Saúde faz recomendações sobre o uso dos Equipamentos de Proteção Individual, os EPIs, para todos os profissionais que atuam na linha de frente para combater a Covid-19.Os profissionais da Radiologia, responsáveis pelo atendimento de casos suspeitos ou confirmados, em seus setores de imagem ou tratamento, devem utilizar alguns como, gorros, óculos de proteção ou protetor facial, máscaras cirúrgicas ou máscara de proteção respiratória, conforme o procedimento, avental impermeável de mangas longas e luvas de procedimento. Além da importância do uso dos EPIs, os profissionais também precisam fazer a higienização das mãos com água e sabão e utilizar álcool em gel.

Nos casos dos exames de raios-X nas enfermarias e UTIs, por exemplo, é preciso calçar três pares de luvas a fim de evitar contaminação do aparelho. Em todos os procedimentos, sempre higienizar as mãos após a retirada dos equipamentos, descartá-los e proceder a higienização também dos equipamentos.

Vale ressaltar que o uso dos EPIs e os procedimentos de higienização são de suma importância para evitar que outros pacientes, que foram atendidos por motivos distintos ao da Covid-19, se contaminem, e também, claro, para o próprio profissional.

Os profissionais de Radiologia estão na linha de frente nesta luta contra a Covid-19 e pela vida e merecem muito mais que atenção, reconhecimento e respeito. Merecem ter dignidade para trabalhar em segurança.

O que os estudantes aprendem no Curso Técnico em Radiologia da EPSJV/Fiocruz?

Os alunos do Curso Técnico em Radiologia da  EPSJV têm em sua grade curricular matérias especificas da formação como, por exemplo, Anatomia, Posicionamento, Física das Radiações, Ética Profissional, Proteção radiológica e muitas outras. Além disso, nossos alunos aprendem a lidar com as diversidades de uma profissão regulamentada, que tem evolução tecnológica frequente e exige do profissional dedicação constante ao estudo. A parte prática do curso também auxilia muito na formação, dando ao nosso aluno uma maior visão da profissão e de seus desafios.

Comentar