pulverização aérea

Exibindo 1 - 2 de 2
  • 20/09/2019 12h14 Reportagem

    STF julga parcialmente constitucional trecho de lei que permite que aviões despejem substâncias químicas nas cidades com a justificativa de combater o mosquito transmissor da dengue, zika e chicungunha. Procuradoria Geral da República contestava medida por afrontar o direito à saúde dos brasileiros

  • 06/07/2016 11h48 Entrevista

    André Búrigo, sanitarista e professor-pesquisador da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz), fala sobre a Lei 13.301/2016, sancionada semana passada pelo presidente interino, que abre a possibilidade de pulverização aérea de agrotóxicos sobre cidades para controle do Aedes aegypti. “Esta proposição é absurda. Trata-se de uma ação química contra população, é um ato violento. Demonstra que setores do agronegócio não têm limites e Ricardo Barros, ao se omitir, participou da aprovação desta medida”, critica.