Serviços 
O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Entrevista

Exibindo 41 - 50 de 425
  • 14/01/2022 10h06 Entrevista

    Nesta entrevista, a professora da Universidade de São Paulo (USP) Maria Clara Di Pierro fala sobre as múltiplas dimensões da Educação de Jovens e Adultos, que segundo ela abarca outras funções além da reposição da escolaridade para aqueles que não puderam acessar a educação básica na idade prevista. Ela também fala sobre as dificuldades para cumprir com as metas previstas para a modalidade no Plano Nacional de Educação (PNE), cuja vigência termina em 2024, e aborda os impactos da reforma do ensino médio e da pandemia de Covid-19 especificamente sobre a EJA

  • 13/01/2022 13h46 Entrevista

    O Ministério da Educação (MEC), lançou em dezembro de 2021 o Programa da Educação de Jovens e Adultos Integrada à Educação Profissional (EJA Integrada - EPT). De acordo com nota do Ministério, o programa tem como finalidade contribuir para alcançar a Meta 10 do Plano Nacional de Educação (PNE), que estabelece que no mínimo de 25% das matrículas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) nas etapas do ensino fundamental e médio sejam integradas à Educação Profissional, de acordo com os termos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Meta proposta para 2024, mas dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apresentados na edição nº 80 da revista Poli, mostram que esse índice era de 1,8% em 2019. Nesta entrevista, concedida para a reportagem da Poli, algumas semanas antes do lançamento do programa, a professora da Universidade Federal de Goiás (UFG) Maria Margarida Machado fala sobre a importância da integração da Educação de Jovens e Adultos com a educação profissional e aborda as dificuldades para sua implementação até aqui. Ela ainda faz um balanço do Programa de Integração da Educação Profissional ao Ensino Médio na Modalidade Educação de Jovens e Adultos (Proeja), principal iniciativa do governo federal no sentido da integração curricular nessa modalidade, e analisa os impactos da reforma do ensino médio sobre a Educação de Jovens e Adultos.

  • 10/12/2021 12h11 Entrevista

    Nessa entrevista, a professora do departamento de Educação Inclusiva e Continuada da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e diretora de articulação institucional da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação (Anfope) Lucilia Lino analisa o documento de Diretrizes Gerais sobre Aprendizagem Híbrida elaborado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) e colocado em consulta pública durante 10 dias em novembro. A pesquisadora fala sobre as críticas da Anfope ao documento, que segundo ela desconsiderou as contribuições das entidades do campo da educação. “A velocidade com que a proposta foi construída e apresentada e o curto espaço de tempo para contribuições, demonstra o açodamento em implementar, de forma impositiva e sem diálogo ou discussão, normas que desregulamentam e descaracterizam a educação básica, acirrando desigualdades e reduzindo a qualidade”, critica.

  • 07/12/2021 19h08 Entrevista

    Enquanto esta entrevista estava sendo editada, os agentes comunitários de saúde (ACS) estavam se mobilizando para a votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 22/11, que tem como objetivo garantir um piso nacional para categoria. Essa é uma das principais pautas de atuação desses trabalhadores, somada às reinvindicações de formação e plano de carreira. Todas são parte da busca por reconhecimento de uma categoria profissional que tem uma longa trajetória de atuação no Sistema Único de Saúde (SUS). Idealizados na década de 1980 como trabalhadores que atuam na comunidade, sendo moradores da comunidade, no Brasil esses trabalhadores surgiram primeiro no Nordeste para depois comporem uma iniciativa nacional, o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS), que estaria completando 30 anos em 2021 se não tivesse sido de certa forma incorporado pela Estratégia Saúde da Família, atualmente em vigor. Apesar das influências internacionais, principalmente da Conferência de Alma-Ata, segundo a professora da Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual do Rio de Janeiro Helena David, o Brasil construiu um modelo único de trabalhador comunitário para a área da saúde. Nesta entrevista, ela fala também dos desafios da carreira desses trabalhadores, comenta as contradições que remetem à concepção de atenção básica que deu origem ao Saúde da Família e fala sobre o papel da categoria no combate à pandemia de Covid-19.

  • 03/12/2021 11h17 Entrevista

    Nessa entrevista, a vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) Isabella Ballalai fala sobre a questão da hesitação vacinal em países da Europa – que tem contribuído para um aumento no número de óbitos por Covid-19 em alguns países – e no Brasil, e discute os desafios para reverter o quadro de queda na cobertura vacinal de várias doenças em meio ao cenário de polarização política e difusão de desinformação, que para ela ajudam a aumentar a insegurança da população na vacinação.

  • 01/12/2021 14h05 Entrevista

    Nessa entrevista, Marcelo Soares, pesquisador do Instituto Nacional do Câncer (INCA) traça paralelos entre as pandemias de HIV/Aids e de Covid-19, destacando o papel que as redes de pesquisa desenvolvidas no âmbito do enfrentamento do HIV tiveram no processo de descoberta de vacinas contra o novo coronavírus. Ele também fala sobre o histórico do desenvolvimento dos tratamentos antirretrovirais ao longo das décadas e sobre os desafios para o desenvolvimento de uma vacina contra o vírus HIV, processo que segundo ele pode se beneficiar das lições aprendidas na pandemia de Covid-19.

  • 19/11/2021 12h07 Entrevista

    Nessa entrevista, Edna Araújo, docente da pós-graduação em Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) na Bahia revela, em primeira mão, dados de pesquisa sobre o impacto da pandemia de covid-19 sobre as populações negras, resultados do trabalho de uma rede de pesquisa constituída no âmbito do GT Racismo e Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

  • 17/09/2021 9h59 Entrevista

    Ana Maria Araújo Freire, conhecida como Nita Freire, é pedagoga, mestre e doutora em educação. Aos 53 anos, viúva e com quatro filhos, casou-se com aquele que mais tarde se tornaria o patrono da educação brasileira, cuja memória ela se incumbe de guardar e difundir ainda hoje. Autora e organizadora de vários livros sobre a obra e a vida de Freire, Nita tem participado o mais ativamente possível das comemorações do seu centenário. Nesta entrevista, ela conta histórias, explica o ‘método’ de alfabetização de adultos que se tornou mundialmente conhecido e comenta as preocupações e objetivos que moveram o educador ao longo de toda sua vida: “a dignificação das pessoas e a democracia”.

  • 16/09/2021 16h25 Entrevista

    Ivanilde Apoluceno é professora e coordenadora do Núcleo de Educação Popular da Universidade Estadual do Pará (NEP-UEPA). Nesta entrevista, ela descreve sua experiência com alfabetização de jovens, adultos e crianças, incluindo uma pesquisa recente com algumas do espectro autista, utilizando os princípios e metodologia de Paulo Freire. A pesquisadora também analisa políticas e discursos educacionais contemporâneos à luz da pedagogia freireana e ressalta o que considera uma perspectiva decolonial na sua obra.

  • 16/09/2021 11h18 Entrevista

    José Willington Germano é professor emérito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e, além de estudar, viu e viveu de perto a efervescência cultural que marcava o Nordeste brasileiro nos anos 1960. Quando a experiência de alfabetização de adultos de Paulo Freire aconteceu no pequeno município de Angicos, ele morava numa cidade ao lado. Mais tarde, pesquisou e produziu análise crítica sobre a campanha ‘De pé no chão também se aprende a ler’, que envolvia iniciativas de educação popular e cultura em Natal, mais ou menos no mesmo período das ‘40 horas de Angicos’. Nesta entrevista, ele descreve o ambiente cultural da época no “Brasil profundo” e aproxima o trabalho de Freire de autores que hoje discutem a opressão por uma perspectiva decolonial.